4 de ago de 2010

Publicidade Racista de Antigamente

........................O racismo é um preconceito contra um “grupo racial”, geralmente diferente daquele a que pertence o sujeito, e, como tal, é uma atitude subjetiva gerada por uma sequência de mecanismos sociais.
........................Um grupo social dominante, seja em aspectos econômicos ou numéricos, sente a necessidade de se distanciar de outro grupo que, por razões históricas, possui tradições ou comportamentos diferentes. A partir daí, esse grupo dominante constrói um mito sobre o outro grupo, que pode ser relacionado à crença de superioridade ou de iniquidade.
........................Abaixo alguns exemplos usado na publicidade com declaração claras ao rebaixamento de outra raça tida como inferior. Publicidade usada há muitas décadas atrás mais que de alguma forma em alguns países ainda é usada de maneira subliminar nos dias de hoje.
(Clique para Ampliar)
"Minha pele é escura, mas meu coração é branco", a frase final racista sobre este anúncio retratando-First Nations, aparentemente disposto a apoiar canadense Patriótica.
Publicidade racista para panquecas da Tia Jemima. O mais famoso mix de auto-aumento de panqueca dos velhos tempos, criado em 1889 por Chris L. Rutt. Ele poderia ter pensado: qual a melhor maneira de apresentar o meu produto de uma alegre ex-escrava que viveu em uma plantação de Louisiana e fez panquecas grande para seus mestres?

Agora essa peça acima é uma piada cruel ou o quê? Este anúncio para N.K. sabonetes Fairbank Co. retrata uma garota branca pedindo para uma menina negra "Por que não a sua mãe para lavá-lo com sabão de fadas?" Nossa! Realmente vergonhoso!

Aqui, um anúncio sobre uma semana em Atlanta. A peça de revista é de 19 de novembro/1967, onde podemos ver Algodão Watts, um comediante que se usou para executar em face negra na década de 1960.

Este anúncio da Van Heusen é de 1952 e diz "4 de 5 homens querem Oxfords... nestes novos estilos de Van Heusen. Veja que somente o negro foi caracterizado de maneira primitiva.


Neste anúncio da Hepatica Sal (laxante) podemos ver um casal de recém casados desfrutando sua lua-de-mel. Se você acha que as imagens escondem alguma mensagem racista, ler a última linha do diálogo: "Permita que o porteiro informe o casal sobre Hepatica Sal".


Este 1924 Maxwell House Coffee fez este anúncio. É outro exemplo de racismo na publicidade. Este possui um funcionário negro servindo o café como função obrigatória da raça.


Olhando para este anúncio do tabaco "Bull Durham", faz-me pensar naquelas enormes plantações de tabaco dos velhos tempos, o papel controverso de pessoas de cor preta usuárias do produto. A arte zomba da raça caipira consumidora.


Aqui, outro exemplo de como o racismo era considerado mesmo legal em tempos antigos. O negro se acha quando está perto de algo que nunca vai possuir.


..........................Não só racista, mas maluco. O anúncio está usando trocadilhos. Neste caso, o que significa que é mistura de dois diferentes significados para determinadas palavras: "coloridos" e "miúdos". O problema é que não faz sentido para nós hoje, se não compreender o significado das palavras antigas. Nós todos sabemos sobre o significado da velha "de cor" pretos (e outras raças não-brancas), mas também significava (e ainda significa) tingidos um costume e/ou de cor não-natural. A palavra "Kids" foi gírias antigas de botas. Assim como hoje, por vezes, dizer "chuta" siginifica o mesmo que sapatos no Estados Unidos.
..........................Sabendo isto fácil a sua para ver que o anúncio é apenas vender botas de senhora feita de pele de cabra macio que foi tingida. O jogo de palavras, então, é misturar o real significado (botas tingidas) com o outro significado (garotos pretos) para tentar fazer o anúncio parece inteligente.
..........................Finalmente, naqueles dias a palavra "fantasia" não significa apenas como traje de Halloween, mas também era usado frequentemente quando se fala de um conjunto de fantasia. Não há nenhum jogo de palavras aqui, é só uso da palavra, que era comum naquela época, mas não agora.

Creme de Kentucky bourbon uísque puro, retratando dois conhecidos estereótipos.

Aqui, um outro anúncio racista de vinho de "negro em uma melancia".
Tradução Livre

Nenhum comentário:

Ocioso Links Interessantes

Visite e Compartlhe a Fanpage