30 de mar de 2012

Musas dos Heróis e Vilões do Cinema

............Durante a maior parte de sua existência, a indústria dos quadrinhos não pensou muito nas mulheres e nem as retratou de maneira muito justa. As revistas dos super-heróis, com suas tramas cheias de homens musculosos enfrentando vilões loucos e ambiciosos, tinha mesmo pouco do universo feminino. Quase tudo que existia no mercado apelava aos jovens do sexo masculino e sua vontade de viver aventuras e sair da mesmice através dos heróis fantasiados.
............As garotas que apareciam nas tramas, muitas vezes, eram pouco mais do que elementos do cenário: uma secretária, a filha de um comissário da polícia, a herdeira rica e entediada. Sua intenção era aparecer como o interesse romântico do herói ou como a dama em perigo. Mas diga-se de passagem, eram gostosas. As vilãs nem se fala.
............Não deve ser facil conseguir uma companheira quando se tem a responsabilidade de salvar o mundo ou a ambição de dominá-lo. Para tirar esses Super Heróis e Vilões dessa vida solitária é que surgiu as garotas, as simples mortais, as heroínas e as vilãs, é claro.
............Cada super-herói necessita de uma namorada super linda para fazê-lo parecer ainda melhor quando ele está lutando contra bandidos, quebrando edifícios ou perambulando em um beco escuro, esperando um ataque totalmente inesperado de mais bandidos. Na verdade, é que estas gatas que muitas vezes salva nossos heróis da morte certa, ou, em alguns casos, realmente aceleram o processo.
............Pensando nisso, pesquei algumas dessas deusas do cinema que foram namoradas, companheiras, parceiras, puxa-saco dos super-heróis e vilões nos filmes de cinema. Lindas, poderosas e sexy. Esses Super-Heróis e Vilões não são nada bobos. Preparados? Então confiram a seguir.
(Wallpaper - Clique para Ampliar)
Kirsten Dunst
(Mary Jane Watson - Trilogia: Homem-Aranha/2002-2004-2007)

Kim Basinger
(Vicki Vale - Batman/1989)

Jennifer Connelly
(Betty Ross - Hulk/2003)

Eva Mendes
(Roxanne Simpson - Motoqueiro Fantasma/2007)
(Sand Saref - The Spirit: O Filme/2008)

Kate Bosworth
(Lois Lane - Superman: O Retorno/2006)

Blake Lively
(Carol Ferris - Lanterna Verde/2011)

Hayley Atwell
(Peggy Carter - Capitão América: O Primeiro Vingador/2011)

Jennifer Garner
(Elektra Natchios - Demolidor: O Homem Sem Medo/2003)

Megan Fox
(Lilah - Jonah Hex: Caçador de Recompensas/2010)

Lena Headey
(Rainha Gorgo - 300 / 2006)

Natalie Portman
(Jane Foster - Thor/2011)

Selma Blair
(Liz Sherman - Hellboy/2004-2008)

Madonna
(Breathless Mahoney - Dick Tracy/1990)

Catherine Zeta-Jones
(Elena Montero - A Máscara do Zorro/1998)
(Elena de la Vega - A Lenda do Zorro/2005)

Kristy Swanson
(Diana Palmer - O Fantasma/1996)

Rebecca Romijn
(Raven Darkholme/Mística - Trilogia X-Men/2000-2003-2006)

Liv Tyler
(Betty Ross - O Incrível Hulk/2008)

Cameron Diaz
(Lenore Case - O Besouro Verde/2011)

Rachel Weisz
(Angela Dodson/Isabel Dodson - Constantine/2005)

Ornella Muti
(Princesa Aura - Flash Gordon/1980)

Fonte: IMDb Movie
Você gostou deste post?
Conheça a Galeria Completa no Facebook.

Clique no Banner e Faça Parte do Fascinante Mundo do Cinema.

Conceito e Teoria da Criação Publicitária

"A desobediência é uma virtude necessária à criatividade."
(Raul Seixas)

............A criação publicitária trabalha basicamente com dois tipos de informações. Um é de ordem subjetiva, ou seja, o conjunto de vivências e experiências pessoais de cada profissional, as quais irão determinar a eficiência na resolução de um problema de comunicação e a associação de idéias no processo de criação. O outro é o briefing, que seria o banco de dados, sobre o qual o profissional de criação irá trabalhar.
............Cada peça gráfica possui características próprias. Assim as técnicas de criação são as mais diversas. Porém o que mais conta será a capacidade de elaborar determinada peça a fim de gerar empatia e ação de compra no consumidor. A criação publicitária tem sempre o objetivo de comunicar um conceito, associado a um produto, com a finalidade de vender esse produto a um público específico.
............Quem olha de fora vê a propaganda como o paraíso da criatividade: um negócio onde a imaginação corre livre e solta, os criativos realizam sua obra e para fazer isso recebem prêmios, um bom salário e a consagração da glória. Os pragmáticos imaginam o criador de publicidade em seu trabalho caminhando dentro de um belo cenário, dando ordens às belas mulheres que posam como modelo para fotos ou trabalham nos filmes que vendem, na hora, os produtos que anunciam.
............A verdade, como sempre acontece, contraria a imaginação. O criador de anúncios é um prisioneiro da técnica do planejamento de marketing, o salário já foi bom mas hoje não é lá essas coisas e a glória é pequena, efêmera, passageira. Dura o tempo em que um anúncio permanece na memória.
............A criação publicitária é um terreno onde não se pode dar um passo à frente que não esteja escorado no passo de trás. A propaganda é uma atividade muito cara para as empresas que precisam anunciar para vender. E cada vez mais a maioria prefere não arriscar em anúncios descomprometidos com as caixas registradoras. Os anunciantes querem peças criativas, mas exigem que elas sejam pertinentes e apropriadas ao que querem vender.
............Sejamos francos, nem todos os anúncios são brilhantes, a maior parte deles não são nada inspirados e muitos até podem ser irritantes. Verdadeira criatividade acontece quando conseguimos surpreender o público com o inesperado, quando durante apenas alguns segundos ou num simples olhar não só conseguimos captar a atenção das pessoas como também contamos uma história.
............Para uma peça de publicidade realmente se destacar nos dias de hoje a peça precisa ser excepcionalmente criativa. Quando se trata de publicidade eficaz, a qualidade sobre a quantidade ganha. Apesar de muitos de nós sofrerem de uma certa de fadiga dos dias modernos de publicidade, uma campanha bem executada ainda consegue provocar um sorriso e deixar uma impressão duradoura.
............Reuni aqui alguns exemplos de peças gráficas de vários países onde o bom humor aliada a criatividade chamam a atenção dos consumidores. Para entender basta analisar as peças e as mensagens. Na dúvida, deixe a preguiça de lado, consulte a marca no deus Google, para variar.
(Clique na Imagem para Ampliar)




















Texto Relacionado: Celso Japiassu (Uma.Coisa.e.Outra)

Prime Preservativos Argentino - Guerreiros

.............A história do preservativo remonta pelo menos vários séculos, e talvez mais além. Para a maioria de sua história, os preservativos foram usados ​​tanto como um método de controle de natalidade , e como medida de proteção contra doenças sexualmente transmissíveis . Preservativos foram feitas a partir de uma variedade de materiais; antes do século 19, tratada quimicamente tecido de linho e animal (intestino ou bexiga) são as melhores variedades documentados.
.............Preservativos de borracha ganhou popularidade em meados do século 19, e no início do século 20 grandes avanços foram feitos em técnicas de fabricação. Antes da introdução da pílula contraceptiva oral combinada , os preservativos foram o método de controlo de nascimento mais popular no mundo ocidental. Na segunda metade do século 20, o baixo custo do preservativo contribuiu para a sua importância no planejamento familiar programas em todo o mundo em desenvolvimento. Os preservativos também se tornaram cada vez mais importante nos esforços para combater a pandemia da AIDS.
.............A partir da década de 90, a empresa Ansell Healthcare líder global em saúde barreira de proteção e, desde a sua sede corporativa em os EUA começa a desenvolver alianças estratégicas com parceiros locais para consolidar o negócio de preservativos. Então PRIME chega ao país nas mãos da Buhl S/A, uma empresa da Argentina, com um alto compromisso com a satisfação do cliente e consumidores.
.............Gestores e equipe de vendas propôs as ambiciosas intervenções em farmácias com os produtos Prime através de quiosques criativos. O trabalho consistiu na colocação dos produtos aos olhos do consumidor, através da exposição e comunicação direta, aproximando cliente ao produto para que ele soubesse que poderia usá-los quando mais precisassem de forma segura e confiável. Hoje são uma empresa líder de operação no ramo de sedução com uma oferta integrada para a mais completa linha de preservativos, uma nova linha de Gel Sensuais e jogos online, concebido para um segmento crescente do mercado que explora suas fantasias com diversão e liberdade.
.............As peças abaixo, são para valorizar o produto usando o tema guerreiro, sempre pronto para qualquer batalha. Sei lá, entendi assim. Será que existe relação com a imagem com o produto em destaque. Coisa de argentino. Pelo menos a fotografia é bem elabora. Guerreiro que saem das calças, pronto para aniquilar qualquer vírus. Ah, vamos parar por aqui.
(Clique na Imagem para Ampliar)


Prime extras preservativos força para o prazer hardcore.


Agência: TBWA \ Buenos Aires - Argentina
Diretores de Criação: Juan Cruz Bazterrica, Guillermo Castañeda, Roberto Leston
Diretor de Arte: Mathias Harbek
Redator: Yago Fandiño
Fotografia: Ale Burset
Arte Digital: Diego Speroni
Modelmaker: Leandro Sivori
Publicação: Março/2012

Importância da Fotografia Publicitária na Propaganda

...............A partir de 1930, agências publicitárias estrangeiras começaram a chegar no Brasil, principalmente em São Paulo. A ilustração a traço, que dominava a publicidade brasileira até então, começou a perder forças. O problema é que os fotógrafos ainda não eram especializados, cobriam jobs ou pautas de diversos campos. As agências, então, importavam imagens dos Estados Unidos.
...............Foi realmente na década de 1940 que começou a haver um espaço um pouco mais consolidado para a fotografia no campo da propaganda, e fotógrafos como Chico Albuquerque, Peter Scheier e Hans Gunter Flieg, Becherini firmaram-se na área. Sem dúvida, influiu neste quadro a chegada de profissionais estrangeiros, já iniciados na modernidade européia, que vinham ao Brasil refugiados do nazismo e da Guerra”, segundo a jornalista Daniela Palma.
...............Os retratos, que mostravam apenas poses rígidas, não eram pensados em termos de uma linguagem publicitária mais articulada. Então, apesar da imagem fotográfica ter ganhado um pequeno espaço na publicidade, tinha um caráter meramente ilustrativo e um padrão de qualidade muito desigual.
...............A propaganda custou a adotar a fotografia. Apesar da impressão fotográfica ser possível desde 1880, quando apareceu o processo de impressão halftone, a utilização da fotografia pela publicidade não aconteceu na seqüência. “A recusa à fotografia pelos publicitários se dava nas duas pontas: se por um lado, ela era técnica demais para alcançar a fruição artística do desenho, por outro, não tinha a precisão do traço para a reprodução dos detalhes técnicos na impressão, já que as imagens ficavam ainda muito reticuladas".
...............Enquanto o fotojornalismo recai sobre esse discuro, de que reproduz a realidade fielmente, a foto publicitária vem na contramão: assume a manipulação da imagem para cumprir um briefing, vender um produto. Eguizabal (2001) aponta que a inserção da fotografia nas criações gráficas publicitárias exerceu um fascínio muito maior e mais impacto aos olhos acostumados com as ilustrações, pois a fotografia pode transmitir uma quantidade de informações superior aos desenhos e ilustrações.
...............Como ferramenta da publicidade, a fotografia será preponderante em quase todos os meios escolhidos no planejamento de mídia, constituindo-se uma das formas pela qual se traduz o tema e o posicionamento da campanha. Por meio de uma linguagem não verbal, a fotografia publicitária consegue sintetizar em uma única peça o que um texto verbal conseguiria explanar em muitos parágrafos, e consegue esse feito em um tempo recorde, o tempo que leva para o olho reconhecer os elementos da composição e o cérebro decodificar a mensagem. Normalmente, muito rápido.
...............É importante também lembrar que a publicidade se vale da relação entre texto e imagem em sua estrutura. Há relação de ancoragem do texto com a imagem, podendo a imagem ter vários sentidos e o texto funcionando aí como uma espécie de guia para o público, enfatizando em qual sentido a imagem deve ser lida. Eco (1968) pontua que um dos problemas ao analisarmos a publicidade é observar como esses dois registros (verbal e visual) se articulam.
...............No universo da publicidade o trabalho fotográfico está inserido em quase todos os segmentos. É uma ferramenta com tamanha capacidade de prender a atenção das pessoas com os seus recursos. Pensar em publicidade sem levar em conta a fotografia é praticamente impossível, o resto é criatividade como peças somente com desenhos, tipologia textual etc.
...............Veja os exemplos baixo de fotos manipuladas a gosto da criatividade, aliando efeitos gráficos ajudam a valorizar as peças gráficas e assim chamar uma atenção maior do consumidor.
(Clique na Imagem para Ampliar)




















Textos Relacionados: Clique.Foto.Publicidade (A Tal da Foto Publicitária)

Ocioso Links Interessantes

Visite e Compartlhe a Fanpage