10 de jan de 2011

Publicidade - Fases do Processo Criativo

Fases do Processo Criativo
Ferramentas para Cada Fase
(Maria Rita Gramigna - 29/03/2003)
Ao surgir a necessidade de criar ou inovar, as pessoas passam por etapas subseqüentes. Se tiverem oportunidade de reconhece-las e usar ferramentas específicas em cada uma delas, suas chances de sucesso serão maiores.

AS ETAPAS DO PROCESSO

1. IDENTIFICAÇÃO E DEFINIÇÃO DO PROBLEMA
Um problema deve ser visto como desafio e oportunidade para um profissional exercer sua criatividade.
Se bem identificado e formulado já está 50% resolvido.
É importante utilizar as técnicas adequadas a fim de ver diferentes ângulos do mesmo problema, bem como defini-lo corretamente através de uma boa preparação. O pensador criativo deve conhecer bem o objeto de seu desafio, subdividindo o problema e coletando o maior número de informações das mais diversas fontes: no escritório de patentes (INPI no Brasil, US Patents nos Estados Unidos), Internet, livros, etc. A preparação também pode ser feita com base nas informações que já dispõe de seu negócio, sendo de grande valia que se organize esse conhecimento utilizando ferramentas adequadas. O MIND MAP é um recurso excelente.

2. ESQUENTAMENTO
Nesta fase são aplicadas as técnicas de criatividade mais eficazes para a produção de idéias nos negócios.
Exemplo: CADEIRA - É possível usá-la para outros fins? Eliminar? Substituir? Combinar? Aumentar? Modificar? Adicionar? Reorganizar?
Para a utilização destas técnicas podemos utilizar o TI – TORBELINO DE IDÉAS.

3. INCUBAÇÃO
Esta é a fase em que o subconsciente trabalha.
Veja a seguinte frase do famoso físico Albert Einstein: "Eu penso 99 vezes e nada descubro [Esquentamento]; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio [Incubação] - e eis que a verdade se me revela [Solução]". Esta única frase resume 3 fases do processo criativo.
Nesta fase podemos usar o ativador RELAJACIÓN IMAGINATIVA.

4. SOLUÇÃO
É o Eureka!!! - é quando se descobre a solução para um problema. É quando percebemos que a solução é muitas vezes tão simples e nos admiramos em não tê-la visto antes, pois estava tão próxima, tão evidente.
Neste momento nossa PERCEPÇÃO se aguça.

5. VERIFICAÇÃO
É a hora de averiguar quais soluções são viáveis, sob o ponto de vista da necessidade, custo, marketing, produção, execução, etc. É uma fase necessária, visto que inicialmente todo e qualquer julgamento crítico foi adiado (1.º Princípio básico da criatividade).
Nesta fase podemos usar o método FOFA – Análise das facilidades, oportunidades, fraquezas e ameaças.

Maria Rita Gramigna é Mestre em Criatividade Total Aplicada pela Universidade de Santiago de Compostela (Espanha). Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Minas Gerais e pós-graduada em Administração de Recursos Humanos pela UNA – União de Negócios e Administração (MG). Atua no Mapeamento de Competências, contatos estratégicos com clientes, capacitação gerencial e treinamento da equipe de consultores da MRG Consultoria e Treinamento Empresarial.

Fonte: PORTAL.DO.MARKETING

Nenhum comentário:

Ocioso Links Interessantes

Visite e Compartlhe a Fanpage