17 de nov de 2011

Publicidade com Desenhos, Colagens e Recortes

...................A arte sempre foi um dos grandes instrumentos da propaganda e publicidade. Publicidade e arte são diferentes, mas ambas dividem o ideal clássico da beleza, que encanta e atrai as pessoas. Curiosamente, com o passar do tempo ficou claro para todos que a arte e a propaganda sempre andavam de mãos dadas de maneira direta e objetiva: a arte tornava a propaganda agradável (e portanto mais funcional) e a propaganda impulsiona a popularidade daquela peça, forma ou estilo de arte.
...................Obviamente as forças de mercado afetaram essa simbiose provocando uma espécie de ciclo envolvendo o uso de uma arte (ou artista) mais popular para impulsionar a popularização do produto ou serviço vendido, tornando o artista ainda mais famoso e o produto idem.
...................Esse é um padrão que tem se repetido ao extremo por dezenas de anos e ainda funciona, mas não é necessário. Uma boa marca que procura um posicionamento diferenciado de seus concorrentes provavelmente tomará uma direção diferente e talvez até oposta. É um risco para varias companhias, mas também pode ser a solução para um destaque triunfal de uma marca para qualquer público alvo em qualquer lugar do mundo.
...................Como todas as outras artes, precisa de talento, criatividade, imaginação, dedicação em tempo integral. Só não é uma grande arte porque não dispõe da capacidade de instaurar novos valores estéticos. A criação publicitária é comercial. O artista cria a partir do que a agência necessita, seja através do que procura ou mesmo por meio da redação que exige um determinado conceito.
...................Picasso nunca pediu a aprovação dos clientes, Rimbaud não precisou de plataforma criativa e Michelangelo, artista pago pelo poder da Igreja, recusava-se a mudar suas concepções para agradar o cliente. Eles deixaram uma obra que vai durar pelos tempos afora e os anúncios devem durar no máximo o tempo de vida dos produtos que anunciam. Já foi dito, no entanto, que a propaganda ficará marcada como a arte típica do Século XX e o cartaz de rua é a melhor de todas as suas manifestações.
...................A intenção da arte não é vender, nunca. Encontra comprador sem procurar. Não corre atrás, orgulhosa. A publicidade, pelo contrário, só existe em função do mercado: vende tudo. Humilde e humilhada, se vê na obrigação de correr atrás, qual ambulante qualquer. A arte é única; a publicidade, vária. Publicidade é equipe; arte, solidão.
...................A arte é operação gratuita, e talvez por isso é revestida de uma aura superior. A publicidade, não: pragmática, tem preço. Só se manifesta se lhe pagam bem. Talvez por isso tenha sempre aquela cara. Aquém do além.
...................Projetos assim são um exemplo de como a arte pode representar o diferencial na escolha da compra de um produto, como o artista pode se beneficiar com a exposição de sua arte e como o consumidor obtém ainda seu prazer estético. É uma simbiose onde todos ganham e uma mostra inspiradora para outras empresas pelo mundo.
...................Abaixo 20 exemplos de variadas forma de arte desde a digital ou a feita a mão. Não importa, arte é arte e todos os artistas devem ser respeitados pela sua forma de expor suas idéias.
(Clique na Imagem para Ampliar)



















Texto Relacionados: OverMundo / Uma.Coisa.e.Outra / J.C.Guimarães (Revista Bula)

Nenhum comentário:

Ocioso Links Interessantes

Visite e Compartlhe a Fanpage